FEIRA DO LIVRO DE BRAGA 2020


A 29.ª edição da Feira do Livro de Braga 2020 decorre numa edição especial do evento que, nestes tempos extraordinários, vai ter a sua casa online.

De 3 de julho a 3 de setembro, visite os livreiros, editores e alfarrabistas com presença marcada no recinto virtual da Feira, e esteja atento à programação cultural na página de Facebook da Feira do Livro de Braga.

Visite a feira aqui: https://bit.ly/VirtualTour-FLB

Ofertas de 100ª Página em:
https://dott.pt/pt/store/100a-pagina-livraria-lda


Siga a página do Facebook da Feira: 
https://www.facebook.com/FeiraDoLivroDeBraga/

Livros dos autores com 20% imediato. Estas e outras promoções na Livraria

 

Teresa Calçada é licenciada em Filosofia pela Faculdade de Letras de Lisboa. Foi técnica do Instituto Português do Livro e em 1986 integra um grupo de trabalho que seria a base da Política Nacional de Leitura Pública, visando a criação da Rede de Bibliotecas Municipais. Foi vice-presidente do Instituto da Biblioteca Nacional e do Livro e integrou a equipa do desenho do Programa Rede de Bibliotecas Escolares. Em 2006, foi agraciada Comendadora da Ordem da Instrução Pública. Entre 2006 e 2013 assumiu funções como Comissária Adjunta do Plano Nacional de Leitura, tendo sido nomeada, em 2017, Comissária do novo Plano Nacional de Leitura 2027.

 

 

Ildefonso Falcones, autor natural de Barcelona, formado em Direito, seguiu uma antiga paixão: a da História. Das primeiras memórias de infância, em que encontrou refúgio na Catedral da cidade, à decisão de escrever um romance que revelasse a verdadeira origem daquele lugar de culto, o autor dedicou-se a uma intensa investigação sobre a sociedade catalã do século XIV. Da prosperidade da cidade às gentes que ali viviam e cruzavam, dos escravos aos artesãos, dos judeus à condição da mulher, o autor traça um fabuloso e vivo quadro da Barcelona medieval.

Maria Dueñas
Doutorada em Filologia Inglesa, Maria Dueñas é professora titular da Universidade de Murcia depois de ter já passado pela docência em várias universidades norte-americanas. É autora de trabalhos académicos e de muitos projetos educativos, culturais e editoriais.
Maria Dueñas nasceu em Puertollano (Ciudad Real) em 1964, é casada, tem dois filhos e reside em Cartagena.
O Tempo entre Costuras foi o seu primeiro romance, publicado pela Porto Editora, tendo sido adaptado à televisão, e exibido em Portugal pela TVI.

 

Dulce Maria Cardoso nasceu em Trás-os-Montes, em 1964. Publicou os romances Eliete (2018), O Retorno (2011, Prémio Especial da Crítica; Livro do Ano dos jornais Público e Expresso), O Chão dos Pardais (2009, Prémio PEN Clube Português e Prémio Ciranda), Os Meus Sentimentos (2005, Prémio da União Europeia para a Literatura) e Campo de Sangue (2001, Prémio Acontece). Os seus livros estão traduzidos em várias línguas e publicados em mais de duas dezenas de países. A tradução inglesa de O Retorno recebeu, em 2016, o English PEN Translates Award. A antologia Tudo São Histórias de Amor (2013) reúne grande parte dos contos publicados em revistas e jornais. Alguns destes textos integram antologias estrangeiras, e o conto «Anjos por dentro» foi escolhido para a antologia Best European Fiction 2012, publicado pela prestigiada Dalkey Archive Press. Publicou ainda o livro Rosas (2017) e as histórias infantojuvenis de Lôá, a menina-Deus (2014). A obra de Dulce Maria Cardoso é estudada em universidades de vários países e tem sido objeto de adaptações para cinema e teatro. Em 2012, recebeu do Estado francês a condecoração de Cavaleira da Ordem das Artes e Letras. Atualmente, é cronista da revista Visão.

Richard Zimler nasceu em 1956 em Roslyn Heights, um subúrbio de Nova Iorque. Fez um bacharelato em Religião Comparada na Duke University e um mestrado em Jornalismo na Stanford University. Trabalhou como jornalista durante oito anos, principalmente na região de São Francisco. Em 1990 foi viver para o Porto, onde lecionou Jornalismo, primeiro na Escola Superior de Jornalismo e depois na Universidade do Porto. Tem atualmente dupla nacionalidade, americana e portuguesa. Desde 1996, publicou onze romances, uma coletânea de contos e cinco livros para crianças.
A sua obra encontra-se traduzida para 23 línguas.
Para mais informações sobre o autor, visite o site www.zimler.com

Afonso Reis Cabral nasceu em 1990. Aos quinze anos publicou o livro de poesia Condensação. É licenciado em Estudos Portugueses e Lusófonos, fez mestrado na mesma área e tem uma pós-graduação em Escrita de Ficção. Foi duas vezes à Alemanha de camião TIR em busca de uma história, a primeira das quais aos treze anos. Trabalhou numa vacaria, num escritório de turismo e num alfarrabista. Em 2014, ganhou o Prémio LeYa com o romance O Meu Irmão, que se encontra em tradução em Espanha e já foi publicado no Brasil e em Itália. Tem contribuído com dezenas de textos para as mais variadas publicações. Em 2017, foi-lhe atribuído o Prémio Europa David Mourão-Ferreira na categoria de Promessa, e em 2018 o Prémio Novos na categoria de Literatura. No final de 2018, publicou o seu segundo romance, Pão de Açúcar, com forte acolhimento por parte da crítica. Entre Abril e Maio de 2019, percorreu Portugal a pé ao longo dos 738,5 quilómetros da Estrada Nacional 2, tendo registado essa viagem no livro Leva-me Contigo. Trabalha actualmente como editor freelancer. Nos tempos livres, dedica-se à ornitologia, faz Scuba Diving e pratica boxe.

 

Isabel Stilwell é jornalista e escritora. a sua grande paixão por romances históricos revelou-se em 2007, com o bestseller D. Filipa de Lencastre, a que se seguiram D. Catarina de Bragança, ambos traduzidos para inglês, e D. Amélia, sempre com crescente sucesso.
Em abril de 2012, foi a vez de publicar D. Maria II, que mereceu uma edição especial para o mercado brasileiro. Em outubro de 2013 lançou Ínclita Geração – Isabel de Borgonha, em 2015, a história da mãe do primeiro rei de Portugal, D. Teresa e em 2017 um romance sobre a vida da Rainha Santa, Isabel de Aragão, eleito o 2º melhor livro de ficção, no Prémio Livro do Ano Bertrand.
Desde o Diário de Notícias, onde começou aos 21 anos, que contribui de forma essencial para o jornalismo português. Fundou e dirigiu a revista Pais & Filhos, foi diretora da revista Notícias Magazine durante 13 anos e diretora do jornal Destak até ao final do ano de 2012, entre muitos outros projetos. Atualmente escreve para a revista Máxima, tendo uma das suas peças sobre a adoção em Portugal («Não amam nem deixam amar», em conjunto com a jornalista Carla Marina Mendes) sido distinguida com o 1º Prémio de Jornalismo «Os Direitos da Criança em Notícia». Continua a colaborar mensalmente com a revista Pais e com o Jornal de Negócios, quando não está a escrever, vira diariamente os «Dias do Avesso» em conversa com Eduardo Sá, na Antena 1.

 


Fernando Ribeiro é o vocalista e letrista da banda de Heavy Metal Portuguesa, Moonspell. Tem também diversas experiências na literatura, tendo editado três livros de poesia e traduzido para a Língua Portuguesa Eu Sou a Lenda (I am Legend) de Richard Matheson. Colaborou ainda na edição e tradução dos dois primeiros volumes da obra integral do autor de ficção de terror, H.P. Lovecraft.
Vive em Lisboa e toca por todo o mundo com a sua banda.

 

Karina Sainz Borgo nasceu em Caracas em 1982, quando tudo estava prestes a pegar fogo. Trabalha como jornalista especializada em temas culturais. Publicou livros jornalísticos sobre o seu país e tem o blogue Crónicas Barbitúricas. Cai a Noite em Caracas, publicado em Espanha com o título La hija de la española, é o seu primeiro romance e será publicado em mais de vinte países.


Adriana Lisboa nasceu no Rio de Janeiro. Publicou, entre outros livros, os romances «Sinfonia em branco» (Prémio José Saramago), «Rakushisha, Azul corvo» (um dos livros do ano do jornal The Independent), «Hanói, Todos os santos», os contos de «O sucesso» e os poemas de «Parte da paisagem, Pequena música» (menção honrosa do Prémio Casa de las Américas) e «Deriva». Os seus livros foram traduzidos em mais de vinte países. Os seus poemas e contos saíram em revistas como Modern Poetry in Translation e Granta


Rui Cardoso Martins (Portalegre, 1967) é escritor, cronista e argumentista. É autor dos romances «E Se Eu Gostasse Muito de Morrer» (2006), «Deixem Passar o Homem Invisível» (2009, Prémio APE), «Se Fosse Fácil Era Para os Outros» (2012) e «O Osso da Borboleta» (2014), e das coletâneas de crónicas «Levante-se o Réu» (2015) e «Levante-se o Réu Outra Vez» (2016, Prémio APE). Tem livros traduzidos em diversas línguas. Foi repórter do Público e é cronista no Jornal de Notícias e na Antena 1. É argumentista de cinema e televisão e autor de peças de teatro. Atualmente, é professor da cadeira de Arte da Crónica, da pós-graduação em Artes da Escrita da FCSH-UNL.

 

 

 

Livraria 100ª Página | Casa Rolão Av. Central, 118/120 4710-229 Braga | Tel: 253 267 647 | Fax: 253 267 648